O que é a síndrome da disfunção cognitiva nos cães?

Às vezes, os cães mais velhos podem sofrer alterações comportamentais que parecem mais raras ou um pouco mais visíveis do que simplesmente 'abrandarem'. Até há pouco tempo, os especialistas atribuíram este facto ao processo de envelhecimento, em relação ao qual pouco pode ser feito. Mais recentemente, no entanto, mudanças mais raras nos cães mais velhos foram atribuídas a uma doença chamada Síndrome de Disfunção Cognitiva (SDC).
Cão e dono no parque
Cão e dono no parque
Cão e dono no parque

Sintomas da Disfunção Cognitiva nos cães

Exemplos de alterações comportamentais incluem cães ‘confusos’, que parecem desorientados ou perdidos em ambientes familiares, cães a caminhar sem rumo e, talvez, a parecer que não conseguem sair dos cantos.

O seu cão, ainda que tenha sido perfeitamente treinado durante toda a sua vida, pode começar a ter ‘acidentes’. Ele poderá deixar de o cumprimentar à porta, quando chega a casa, de lhe levar as bolas que lhe atira para ir buscar, ou ficar carente. Muitas vezes, você é capaz de reconhecer a disfunção cognitiva dos cães quando tem um cão sonolento durante o dia, mas não um cão sonolento à noite; ele terá padrões de sono desequilibrados. A noite pode trazer inquietação e crescente vontade de vaguear, como se o seu relógio biológico estivesse invertido. Vocalizar à noite também pode ocorrer nestas situações, mantendo-o a si e a outras pessoas da casa acordados.

Nenhuma dessas coisas significa que o seu cão se preocupa menos consigo; a disfunção cognitiva nos cães faz simplesmente com que o seu animal de companhia se comporte de maneira diferente, e provavelmente ele não tem ideia de que está a causar-lhe angústia!

Se identificar a disfunção cognitiva em cães, esta poderá ser identificada devido a vários sinais clínicos. O diagnóstico pode ser feito se o seu cão mais velho mostrar alterações comportamentais que não têm nenhuma causa física aparente. A síndrome já foi comparada a condições como a doença de Alzheimer dos humanos. Algumas pessoas veem-no como a ‘demência dos cães’, ainda que a demência dos cães seja naturalmente diferente da doença nos seres humanos.

Cão senior

Tratando a disfunção cognitiva nos cães

Black dog Dog looking sad next to food bowl

Não há necessidade de se preocupar se o seu cão tiver a SDC: as mudanças de comportamento em cães envelhecidos podem realmente ser sensíveis ao tratamento. Os possíveis tratamentos podem incluir mudanças na dieta do seu cão, medicamentos e terapia comportamental. Outras dicas para ajudar os cães mais velhos – mesmo aqueles sem SDC – incluem:

  • Para segurança do seu cão, procure os perigos existentes na sua casa e no seu jardim, os sítios em que o seu cão pode cair – por exemplo – e fique atento ao seu cão nesses lugares.
  • Mantenha uma rotina se puder. Os cães, também os mais velhos, com SDC não gostam de mudanças nos horários familiares e, como tal, uma rotina pode mantê-los mais calmos.
  • Mantenha um regime de exercício se não houver razões médicas para não o fazer, uma vez que as caminhadas regulares ajudam a melhorar a saúde mental e física.
  • Evite situações stressantes, como colocar o seu cão num canil – em vez disso, encontre um petsitter para minimizar a alteração verificada no ambiente do seu cão.
  • Poderá querer também evitar que os visitantes tragam os seus cães.
  • Os problemas relacionados com o treino em casa podem ser difíceis de resolver. Certifique-se de que leva o seu cão à rua com frequência e recompensa o seu bom comportamento.
  • Discuta com o seu veterinário se a medicação beneficiaria o seu cão.

Independentemente do que acontecer, depois de uma vida de amor incondicional e companheirismo os nossos cães mais velhos merecem todo o cuidado e consideração que possamos dar-lhes – e eles continuarão, sem dúvida, a retribuir-lhe o amor que lhes dá!