Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Your Pet, Our Passion.
Coton de Tuléar

Principais características da raça de cães Coton de Tuléar

Este cão branco e de porte pequeno é ligeiramente mais comprido do que alto e tem uma pelagem comprida, semelhante à textura do algodão. Mede entre 25-32cm em adulto e pesa aproximadamente entre 4-6kg.

O que necessita saber
  • Cão adequando para donos inexperientes
  • Necessidades de treino básicas
  • Gosta de passeios tranquilos
  • Gosta de dar passeios de meia hora por dia
  • Cão muito pequeno
  • Cão que se baba pouco
  • Requer tratamento do pelo diária
  • Raça hipoalergénica
  • Cão muito vocal
  • Cão de guarda. Ladra e alerta para situações de perigo
  • Cão perfeito para viver com outros animais
  • Cão perfeito para famílias

Características

Esperança Média de Vida: 14 – 16 anos
Peso em Adulto: 4 – 6kg 
Altura: 22 – 30cm 
Cores: Branco, tons de cinza claro ou fulvo/damasco podem estar presentes nas orelhas
Porte: Pequeno

Avaliação

Adequado para Famílias: 5/5
Necessidade de Exercício: 3/5
Fácil de Treinar: 3/5
Tolerância para ficar sozinho: 1/5
Sociável com outros animais: 5/5
Nível de Energia: 3/5
Escovagem e Higiene: 2/5
Queda de Pelo: 1/5
cachorro fofo branco em pé ao ar livre

Personalidade

Criado durante séculos enquanto cão de companhia, o Cão de Tuléar é um animal de estimação carinhoso e leal que prospera na companhia de pessoas e não gosta de estar separado da sua família. Gosta de usufruir de alguns momentos ao colo, mas também é um cão animado, divertido e brincalhão.

cachorro fofo branco sentado na relva

História e Origem

O Cão Real de Madagáscar, como também é conhecido, é uma raça estabelecida desde há muito, cujo nome vem de Toliara, uma cidade portuária na costa sudoeste da ilha. Diz-se que no século XV, alguns cães pequenos brancos do tipo Bichon sobreviveram a um naufrágio e nadaram até Toliara onde se reproduziram com os terriers autóctones para apurar a raça canina Coton de Tuléar. Tornou-se num cão popular na família real do Madagáscar e foi aprovada uma lei a proibir a posse deste animal, com exceção da nobreza.