Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Saiba mais sobre a companhia por detrás de PURINA Friskies®
Purina

Compreender o seu cão

Compreender o seu cão

Compreender o seu cão

Compreender o seu cão

Peter Neville é um especialista em comportamento canino. Aqui ele responde a algumas questões comportamentais comuns sobre o seu animal de estimação, para o ajudar a compreendê-lo melhor.

TREINAR O SEU CÃO

Os cachorros muito jovens não são capazes de se aliviarem sozinhos quando estão deitados e precisam que a mãe os lamba antes de conseguirem evacuar; assim, assegura-se que a mãe está sempre por perto para manter os seus filhotes e o espaço onde dormem limpos e secos. O seu cachorro pode estar a ter problemas em se adaptar ao novo “ninho da família”. O treino doméstico resume-se a mostrar ao seu cachorro que a casa inteira funciona como o seu ninho, pelo que as suas necessidades e higiene devem sempre ser realizadas fora desse espaço, nomeadamente, no exterior. Leve-o à rua regularmente (inicialmente a cada uma ou duas horas, incluindo durante a noite, bem como imediatamente depois de comer, brincar e dormir) e faça-lhe elogios tranquilamente quando ele se aliviar. De seguida, faça com ele um jogo ou uma breve brincadeira antes de regressar para dentro de casa. Assim, irá encorajá-lo a fazer as suas necessidades no exterior, idealmente numa área demarcada escolhida por si.
Ele precisará de algum tempo para desenvolver a capacidade de “aguentar toda a noite”, de modo que pode ainda contar com algumas semanas a levantar-se a cada 2–3 horas, de início, mais tarde a cada 3–4 horas, para o ajudar. Não o confunda utilizando “tapetes de treino doméstico para cachorros” ou jornais no chão, visto que estará a incentivá-lo a fazer as suas necessidades dentro de casa. É muito melhor e, em última análise, mais rápido assegurar que ele esteja sempre fora de casa, no jardim, quando sentir necessidade de se aliviar.
O treino tem vantagens para todos os cães, independentemente da idade ou tipo, e ainda que seja ligeiramente mais fácil ensinar jovens cachorros, aos cães mais velhos também podem ser ensinados novos truques! A melhor parte é que o treino é outra ótima forma de se divertirem juntos. Se os comportamentos forem recompensados, é provável que se repitam, de forma que se o seu cão se sentar quando lho ordena e o recompensar com uma guloseima saborosa e muitos elogios, da próxima vez ele sentar-se-á ainda mais depressa. Nem todos os cães podem ser recompensados com comida, alguns são mais motivados pela oportunidade de jogar com brinquedos ou apenas por alguns mimos e elogios seus, de modo que deve experimentar para descobrir o que motiva mais o seu cão nos seus comportamentos.
Todo o treino deve ser positivo e baseado em recompensas. Os cães aprendem melhor quando querem obter recompensas, e não quando estão preocupados em serem castigados por cometerem erros. O princípio básico do treino é muito simples: se os comportamentos forem recompensados, é provável que sejam repetidos. Recorra a recompensas especiais que o cão adora quando lhe estiver a ensinar algo novo. Quando ele tiver dominado um exercício, ofereça recompensas mais pequenas, seguidas de recompensas aleatórias, já que assim o cão manterá o interesse em responder e reagir mais prontamente. Mantenha as sessões de treino curtas, mas repita-as ao longo do dia, para que o seu cão ache sempre o treino divertido e interessante. É altamente recomendável frequentar um curso de treino local (por exemplo, no seu veterinário). Nesse curso, irá aprender muitas sugestões e técnicas e ser-lhe-á demonstrado exatamente como lidar com e reagir ao seu cachorro. Irão ambos fazer novos amigos e divertir-se imenso durante o processo.
A maioria dos cães em estado selvagem e os lobos criam os seus filhotes em vários ninhos diferentes, o que proporciona mais segurança conforme se movimentam cada vez mais. Resulta que mesmo os cães modernos muitas vezes sentem-se mais seguros em áreas fechadas e escuras semelhantes a covis. A cama principal do seu cão deve ser num local escolhido por ele, e não apenas num sítio conveniente para si, tal como debaixo de uma mesa ou num canto seguro e sossegado. Se o espaço permitir, é melhor providenciar-lhe um canil de malha para espaços interiores ou um “cesto para cão”, forrado com panos macios e tapado com um cobertor para escurecer o interior. Assim, ele terá um refúgio seguro e um lugar onde relaxar e dormir profundamente sem ser incomodado sempre que tiver necessidade.
Pedir a um cão que não roa não é justo, é como pedir-lhe que não abane a cauda! Trata-se de um instinto natural nos cães, especialmente quando são cachorros jovens. Tal como os bebés, os cachorros exploram grande parte do seu mundo pela via oral, e exploram novos objetos com a boca. Também roem quando lhes estão a crescer os dentes, uma fase em que cai a dentição de leite e irrompem os dentes de adulto. Este processo começa por volta dos três meses de idade e continua até cerca dos sete meses. Roer ou mastigar um brinquedo seguro também pode aliviar o stresse em momentos de ansiedade, por exemplo, quando os cães são deixados sozinhos por um breve período de tempo. Assegure sempre que o cão tem acesso aos seus mastigáveis, como brinquedos de corda, ossos de nylon, brinquedos de roer e esconder e ossos seguros (sob supervisão). Assim, ele terá menor tendência para dar largas ao seu instinto nos seus sapatos e no recheio e decoração da sua casa! Se o apanhar em “flagrante”, peça-lhe calmamente que largue o objeto e incentive-o a vir ter consigo para que lhe dê em troca um dos seus mastigáveis ou brinquedos.
Lembre-se que ainda que a fase principal de mastigação do cão seja durante o primeiro ano de vida, ele continuará a sentir necessidade de roer ao longo da idade adulta e até à velhice, por diversão, relaxamento e para promover a sua saúde dentária. Se encontrar o seu cão a roer algo que não deveria, não se zangue. Em vez de se irritar, tire-lhe o objeto calmamente e dê-lhe um dos seus mastigáveis caninos para desfrutar. É igualmente muito útil ensiná-lo a abandonar qualquer objeto e a levá-lo até si quando solicitado, em troca de elogios e dos seus próprios mastigáveis e brinquedos, já que este procedimento irá evitar conflitos desnecessários. É altamente recomendável frequentar um curso de treino local para o ajudar com os aspetos básicos.

CUIDAR DO SEU CÃO

Os cuidado higiénicos e de manutenção são muito mais do que apenas manter o pelo do cão limpo, sem nós e desembaraçado. É uma experiência vital de criação de laços sociais que irá ajudar a manter e a fortalecer a vossa relação. Habitue o seu cachorro a ser manipulado e tratado desde o primeiro dia, passando-lhe a mão no pelo suavemente quando estiver aninhado no seu colo. É igualmente uma boa ideia dar-lhe ocasionalmente uma guloseima quando ele estiver relaxado. Comece lentamente com gestos de cuidados mais deliberados, de início apenas com as suas mãos, durante mais ou menos 30 segundos. A partir daí, progressivamente vá-lhe passando ambas as mãos no pelo, até passar a fazê-lo com uma escova muito macia. Este procedimento deve agradar-lhe e, em breve, deve passar a escovar as áreas mais sensíveis, como a barriga. Uma escovagem geral diariamente, mesmo que o seu cão tenha pelo curto, será útil para alertá-lo para quaisquer alterações no pelo e na pele do cão e para garantir que pode tratar quaisquer problemas numa fase inicial. Solicite ajuda especializada ao veterinário ou tratador na sua área.
Utilizar a comida de forma criativa pode enriquecer a sua relação com o cão e ajudar a diversificar o dia do animal, tal como reservar uma porção da ração diária e oferecer-lha como recompensa durante os treinos. Pode também colocar alguma ração numa série de brinquedos dispensadores de guloseimas, que libertam croquetes quando abanados, rolados ou erguidos no ar, bem como em brinquedos mentalmente estimulantes que obrigam o cão a resolver um pequeno problema para localizar a sua comida. Se o brinquedo estiver parcialmente cheio, o cão terá de o trazer até si para que volte a enchê-lo, para poder continuar a sua diversão. Este procedimento não só o encoraja a exercitar a mente e o corpo e a satisfazer a sua necessidade inata de se manter ativo ao recolher a comida, como também reforça o "papel paternal de sustento de comida" que lhe cabe a si.
Os cães nem sempre querem dormir e descansar longe de nós, normalmente preferem estar na presença da família tanto quanto possível. Se estiver disposto a partilhar com ele o seu sofá, não há problema, desde que o treine a sair do sofá quando lhe for pedido. Como alternativa, se não se importar de o ter no seu quarto, providencie uma cama confortável junto do sofá ou da sua cama, para que ele possa desfrutar de descanso e sono na sua companhia. Mas lembre-se, assim que ele se acostume a dormir no seu quarto, pode ser muito mais difícil pô-lo a dormir noutro local mais tarde. Vida familiar com o seu cão.
A maioria dos tipos de cães eram originalmente selecionados e criados para desempenharem tarefas físicas intensas: perseguir uma presa em velocidade, farejar um cheiro durante quilómetros, guiar rebanhos e proteger gado, puxar carros ou trenós, proteger e patrulhar propriedades, de modo que apreciam exercício que concretize as exigências físicas e mentais dessas tarefas originais. Os Labradores são, por natureza, cobradores de caça, assim, experimente animá-lo com jogos tranquilos de apanha e busca, bem como com jogos de rastreio de cheiros como o "Jogo das escondidas". Os Labradores normalmente são também meninos de água, então porque não experimentar alguns jogos na água (no entanto, evite água fria com cães séniores), como recuperar um brinquedo flutuante? Utilizar de forma criativa a comida também pode ajudar a trazer variedade ao dia do animal: tente colocar alguma ração numa série de brinquedos dispensadores de guloseimas, que libertam croquetes quando abanados, rolados ou erguidos no ar, bem como em brinquedos mentalmente estimulantes que obrigam o cão a resolver um pequeno problema para localizar a sua comida. Se o brinquedo estiver parcialmente cheio, o cão terá de o trazer até si para que volte a enchê-lo, para poder continuar a sua diversão.

SOCIALIZAR O SEU CÃO

Alguns cães são mais reservados do que outros quando se trata de conviver com pessoas que não lhes são familiares. Por exemplo, as raças originalmente selecionadas para guardar e proteger gado, pessoas e propriedades podem muitas vezes ser naturalmente mais reservadas do que as raças destinadas a ser de companhia, como os cães de raça muito pequena, chamados de cães brinquedo. Os cachorros de todos os tipos e raças podem ser ensinados a serem confiantes e amigáveis com as pessoas através de uma socialização intensiva, uma tarefa relativamente fácil se contar com a ajuda de alguns visitantes voluntários “versados em cães”, com os bolsos cheios de guloseimas e brinquedos. Procure ajuda de um treinador motivacional canino da sua área. Peça ao seu veterinário ou inscreva-se em aulas de treino de cachorros ou jovens cães para aprender técnicas que ajudem a generalizar as competências sociais do seu cão e a desenvolver a sua confiança.
O tipo de raça pode influenciar a relação amigável com outros animais. Por exemplo, o cão de caça é geralmente um cão muito sociável que tem prazer na companhia de outros canídeos e felinos em casa. Alguns cães têm mais facilidade do que outros em se relacionarem com gatos, e os que pertencem a raças de caça, como os Greyhounds, terão necessidade de apresentações organizadas com mais cuidado, bem como de mais paciência e vigilância para os ajudar a criar laços afetivos com os gatos com quem irão partilhar o lar. Experimente contactos iniciais breves e supervisionados várias vezes ao dia, garantindo a segurança do gato mantendo o cão numa trela, e recompense-o se ele obedecer quando o manda olhar para si e for capaz de desviar o olhar do gato. Este procedimento irá acelerar gradualmente a tolerância do cão e, em última instância, cimentar o caminho para uma relação de amizade profunda entre ambos os animais. Entretanto, utilize uma grade ou cancela de proteção para assegurar que o gato possa escapar do cão em segurança para um andar superior ou para outra divisão quando se encontram sem supervisão. Certifique-se de que o gato tem a sua ração, brinquedos, água, poste de arranhar e tabuleiro higiénico também nessa área.
A vida nos lares modernos normalmente proporciona um estilo de vida bem menos ativo do que o dos antepassados caninos do seu animal de estimação. Assim, se os seus cães derem por si aborrecidos e cheios de energia, irão prontamente procurar as suas próprias distrações e divertimentos, gerando problemas comportamentais. É vital que todos os cães tenham um escape adequado para fazerem exercício físico e manterem as suas mentes ocupadas com desafios. Brinque com ele, realize sessões de treino de cinco minutos ao longo do dia e forneça-lhe jogos e brinquedos mastigáveis seguros para brincar quando não lhe puder dar atenção, para que também ele tenha os dias ocupados. Mesmo com os vossos passeios, a variedade é importante: levar o seu cão ao mesmo parque, às mesmas horas, dia após dia, pode tornar-se rotineiro e entediante para ele e para si. Assim, explorem juntos zonas novas. O seu cão irá adorar novas vistas, novos sons e farejar novos aromas. É altamente recomendável frequentar um curso de treino local para cães jovens para o ajudar com os aspetos básicos.