Como lidar com um cão que ladra muito

Os cães não contam com a comunicação vocal da mesma forma que os humanos, mas esta ainda representa uma parte importante da forma como eles se apresentam e expressam as suas emoções a outros cães e à sua família humana.
Cão que ladra muito
Cão que ladra muito
Cão que ladra muito
Há mais no reportório vocal do seu cão do que um simples “au!”. Os nossos companheiros caninos recorrem também a ganidos, latidos, gemidos, lamentos, uivos e rosnares na sua comunicação. Alguns gostam até de dar grandes suspiros!

Há muitas razões para os cães ladrarem, mas tenha em atenção que o ladrar só parece excessivo para nós. Todos os tipos de latido fazem parte da natureza canina! Latidos aparentemente excessivos podem dever-se a problemas relacionados com a separação, ele pode estar a tentar avisá-lo que está alguém à porta ou, se estão no meio de uma brincadeira, ele pode ladrar para demonstrar que está feliz. Se tem mais do que um cão, normalmente não demora muito tempo até que um deles indica ao outro que está na altura de parar.

Alguns cães, no entanto, podem ficar demasiado excitados e continuar a ladrar muito depois de ter passado o carteiro, por exemplo, ou depois de terem terminado a brincadeira e lhe ter dito para se acalmar. Esta situação pode ser problemática, especialmente se tiver vizinhos por perto.

Cão não pára de ladrar

Erros comuns de tutores a lidar com ladrar excessivo

Para muitos donos de cães a ladrar, a resposta é gritar um pouco mais alto, dizendo-lhes para ficarem quietos. No entanto, este comportamento pode parecer uma ameaça para o seu cão ou então ele pode simplesmente pensar que está a tentar ladrar com ele.

Há vários produtos à venda, desenvolvidos para cães que ladram muito e que pretendem acalmá-los ou mantê-los calados, tais como coleiras anti latido, que lançam pequenos choques elétricos ou um spray desagradável. Não recomendamos a utilização destes produtos porque são desnecessariamente agressivos, desagradáveis e suprimem um comportamento natural e a necessidade de comunicar do seu cão. Além disso, as coleiras com sprays de cheiro continuam a punir o cão, bastante tempo depois de ele ter parado de ladrar porque o odor permanecerá no seu nariz muito sensível.

Estes colares de castigo não irão resolver a origem dos latidos e o seu cão canalizará a sua frustração de outras formas, tais como roer móveis ou até a si próprios. Em vez disso, tente descobrir porque o seu cão está a ladrar. É para o avisar de alguma coisa? Ladra porque se sente frustrado, aborrecido ou porque quer chamar a atenção? Ladra porque ficou sozinho e está a tentar chamar por alguém? Quando identificar a causa, poderá recorrer a técnicas de treino, que o ajudem a resolver o problema a longo prazo.

Como fazer o seu cão parar de ladrar em casa

Certifique-se que o seu cão se exercita tempo suficiente. Afinal, um cão cansado é um cão calmo! Pode também ser útil limitar o seu acesso a janelas, cercas ou portas de vidro para que não fique excitado com algo que veja lá fora, mesmo que seja só um carro a passar.

cão que ladra muito em casa

Treinar cães para não ladrar, especialmente em casa, envolve normalmente a técnica de “falar e calar”, que apesar de parecer confusa, consiste em ensinar primeiro o seu cão a ladrar sob comando. Veja como:

  • Peça a ajuda de um parceiro de treino e peça-lhe para ficar junto à porta, do lado de fora, enquanto se mantém dentro de casa com o seu cão.
    • Peça ao seu cão para “falar” quando o seu amigo tocar à campainha ou bater à porta.
      • Isto deve fazer o seu cão ladrar e, quando ele o fizer, dê-lhe uma guloseima e muitos elogios.
        • Pratique com frequência e por períodos curtos, em diversos locais, e sempre que o seu cão ladrar, diga-lhe “fala”, quer esteja ou não alguém à porta.<(li>

Agora que ensinou o seu cão a falar, está na hora de o ensinar a calar-se!

  • Comece por pedir ao seu cão para falar e recompense-o verbalmente, quando ele o fizer.
    • De seguida, diga-lhe para se “calar” e distraia-o de ladrar com uma guloseima saborosa ou o seu brinquedo de chiar favorito. O seu cão não consegue ladrar e investigar as guloseimas ao mesmo tempo, pelo que parará de ladrar. Quando o fizer, faça-lhe muitos elogios e a guloseima, claro!
      • Repita um pouco esta técnica com frequência e rapidamente conseguirá interromper o ladrar do seu cão com um comando simples.

Como fazer o seu cão parar de ladrar no carro

Ladrar no carro é um problema comum. Os cães ladram para proteger o seu território temporário (especialmente se o carro estiver estacionado e estiverem pessoas a passar), porque se sentem frustrados de não conseguirem perseguir os objetos que passam rapidamente com um zumbido ou simplesmente porque sabem que uma viagem de carro significa uma emocionante viagem para o parque, ou talvez uma viagem de menos emocionante ao veterinário!

Se já domina a técnica de “fala e cala-te” em casa, mas o seu cão ainda continua ruidoso no carro, pode precisar de fazer algumas alterações para tornar o seu carro um espaço mais comum e normal, deixando de ser associado a um grande entusiasmo. Comece por deixar o seu cão sentar-se no carro com um brinquedo de roer. Comece por fazer isto com o motor desligado e depois faça o mesmo com o carro ligado. Quando o seu cão se sentar calmamente no carro com o motor ligado, faça um pequeno passeio, mas pare mal ele comece a ladrar e retome a marcha apenas quando ele acalmar novamente.

Isto irá requerer algum tempo e paciência, mas não desista! Ele acabará por perceber a mensagem.

Se o seu cão fica especialmente entusiasmado com a visão de outros carros ou pessoas, tente tapar a sua transportadora (se ele está habituado a viajar numa) ou incentive-o a viajar no chão. Lembre-se que a segurança está sempre em primeiro lugar! Um cão excitável pode distrair o condutor, pelo que tem que garantir que ele viaja sempre preso e em segurança, em todos os passeios.

Cão ladra no carro

Se o ladrar excessivo persistir

Se não consegue mesmo descobrir porque é que o seu cão está a ladrar ou se os seus hábitos de vocalização mudarem repentinamente, deve consultar o veterinário para garantir que não há nenhuma questão clínica que o justifique. Se não existir nenhuma questão médica, o seu veterinário poderá referenciá-lo para um especialista em comportamento.