Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Your Pet, Our Passion.
Cão d'Água Português

Cão d'Água Português

Um cão de porte médio, retangular e musculoso, o Cão d'Água Português existe em 2 versões: uma com pelo bastante comprido e ondulado, e outra com pelo áspero mais curto e encarapinhado. Os cães de exposição são tosquiados (no focinho, membros posteriores e parte da cauda).

O que necessita saber
  • Cão adequando para donos experientes
  • Necessário algum treino
  • Gosta de passeios exigentes onde gaste muita energia
  • Gosta de dar passeios de mais de duas horas por dia
  • Cão médio
  • Cão que se baba pouco
  • Requer tratamento do pelo dia sim dia não
  • Raça hipoalergénica
  • Cão conversador e vocal
  • Cão de guarda. Ladra e alerta para situações de perigo
  • Pode precisar de treino antes de viver com outros animais
  • Cão perfeito para famílias

Características

Esperança Média de Vida: 12 – 15 anos
Peso em Adulto: 16 – 25kg
Altura: 43 – 57cm
Cores: A pelagem pode ser preta, branca, castanha, preta e branca, e castanha e branca
Porte: Médio

Avaliação

Adequado para Famílias: 5/5
Necessidade de Exercício: 5/5
Fácil de Treinar: 4/5
Tolerância para ficar sozinho: 2/5
Sociável com outros animais: 5/5
Nível de Energia: 5/5
Escovagem e Higiene: 2/5
Queda de Pelo: 1/5
Cão de água português a correr no campo

Personalidade

Um cão ativo e equilibrado, o Cão d'Água Português é arrojado e aprende facilmente. Leal e atento, dá um bom cão de guarda em casa e normalmente obedece aos seus entes queridos, apesar de poder ser teimoso se não for devidamente motivado.

Cão de Água Português em pé à noite

História e Origem

País de Origem: Portugal

A primeira referência a um cão com uma pelagem preta e pelo desgrenhado semelhante à raça de Cão d'Água Português data de cerca do século XII. Uma raça que foi produzida para ajudar a recuperar os peixes que caiam das redes dos pescadores e ajudá-los em qualquer outra atividade aquática, tal como transportar mensagens de barco para barco. Ele também tinha a função de guardar a embarcação. Em 1960, com a chegada da revolução industrial a Portugal e a consequente modernização da frota pesqueira portuguesa, o trabalho do cão foi sendo gradualmente substituído, tendo sido mais tarde classificado como o cão com pedigree mais raro.

Porém, o interesse na raça enquanto cão de exposição e como companheiro da família substituiu a sua função tradicional na pesca.