Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Your Pet, Our Passion.
Jenifer

PhD, Technical Communication Manager and Veterinarian @Purina

Jenifer
Ciência

Ciência

Ir para secção >

Qual a origem das alergias a pelos de cães ou gatos? O que podemos fazer para as gerir?

As alergias humanas a cães ou gatos ocorrem quando o sistema imunitário de uma pessoa é sensibilizado a proteínas alergénicas (alergénios) produzidas pelo cão ou gato. Os alergénios podem ser encontrados na saliva e na urina de cães e gatos, bem como na sua pele e pelo e podem causar reações alérgicas quando entram em contato com pessoas sensibilizadas.

Essas alergias têm consequências tanto para o tutor alérgico quanto para o cão ou gato. Os métodos atuais de gestão de alergias humanas a cães e gatos têm limitações:

  • As alergias e os efeitos colaterais dos medicamentos podem interferir nas atividades laborais, sociais e diárias, reduzindo a qualidade de vida dos alérgicos.
  • As tentativas de evitar ou reduzir a exposição a alergénios podem limitar as interações entre os tutores e seus animais de companhia.
  • As alergias são uma razão comum para o abandono de cães e gatos e são uma barreira para a adoção de cães / gatos.

A redução da carga de alergénios no ambiente tem-se mostrado benéfica para quem sofre de alergias. A carga de alergénios é a quantidade total de alergénios presentes no ambiente num determinado momento, e o limiar alérgico é o nível de tolerância de um indivíduo para a carga de alergénios. Se a carga de alergénios pode ser reduzida evitando ou reduzindo a exposição a um ou mais dos alergénios , o nível cumulativo de exposição ao alergénio pode cair abaixo do limite de um indivíduo e melhorar ou prevenir os sintomas de alergia.

Cerca de 1 em cada 5 adultos em todo o mundo sofrem de sensibilidades aos alergénios de gatos. Até 95 por cento das reações em pessoas sensíveis a alergénios de gatos são causadas por Fel d1, o principal alergénio de gatos. Fel d1 é uma proteína produzida principalmente nas glândulas salivares e sebáceas, espalhada por todo o pelo do gato durante a higiene do gato e, em seguida, no ambiente com pelos e pele descamada.

Fel d1 é amplamente disperso; ele facilmente permanece no ar em partículas de pelos e pó e é transferido passivamente na roupa para lugares como escolas, casas sem gatos e até mesmo transportes públicos e edifícios. O papel do Fel d1 ainda não é conhecido, mas uma função de feromona/química foi proposta. Todos os gatos produzem Fel d1 independentemente da raça, idade, comprimento do pelo, cor do pelo, sexo ou peso corporal; não existem gatos verdadeiramente livres de alergénios ou hipoalergénicos. A produção de Fel d1 varia amplamente entre os gatos e pode variar ao longo do ano no mesmo gato.

Em 2019, após mais de 10 anos de pesquisa, a Purina revelou uma abordagem revolucionária para a gestão de alergénios felinos. Uma abordagem segura e comprovada para neutralizar o principal alergénio do gato, Fel d1, na sua fonte, na saliva dos gatos. Esta abordagem não interfere com a produção normal de Fel d1 pelo gato nem afeta a fisiologia geral do gato; é utilizado um ingrediente do ovo na dieta do gato para neutralizar o alergénio Fel d1 na saliva, o que reduz o alérgeno ativo transferido para o pelo e pele durante a limpeza e, por fim, reduz o Fel d1 ativo no ambiente.

Em 2020, a Purina lançou o PRO PLAN® LIVECLEAR®, o primeiro e único alimento para gatos a reduzir os aalergénios nos pelose pele dos gatos.

Qual a origem das alergias a pelos de cães ou gatos? O que podemos fazer para as gerir?