Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Your Pet, Our Passion.
Bosque da Noruega

Bosque da Noruega

O Bosque da Noruega é maior do que um gato convencional. É uma raça elegante com uma pelagem semilonga (ligeiramente mais curta no verão). O corpo é longo, musculoso, robusto e com uma estrutura óssea sólida. Tem pernas longas e uma cauda felpuda. A cabeça é comprida e triangular com um perfil reto e orelhas altas com tufos nas pontas. O subpelo lanudo é coberto por uma pelagem impermeável, macia e brilhante. A pelagem considera-se completa se o gato for dotado de pelos no peito, na região do tórax e das ancas, e até mesmo tufos de pelo entre os dedos. A pelagem do Bosque da Noruega abrange qualquer cor, exceto um padrão visto no Siamês, lilás ou chocolate, e pode ter qualquer quantidade de manchas brancas nas patas, peito, barriga ou focinho. Os olhos podem ser de qualquer cor.

O que necessita saber
  • Muito ativo
  • Sociável e dependente
  • Nada comunicativo
  • Gato grande e forte
  • Requer que o pêlo seja tratado todos os dias
  • Raça não hipoalergénica
  • Gato de exterior
  • Pode precisar de familiarização antes de viver com crianças
Gato norueguês da floresta de pé no quintal

Personalidade

Os Bosques da Noruega gostam de conviver e de ter companhia. Por vezes entregam-se totalmente aos seus donos outras vezes mostram-se ser bastante independentes. Habituados a uma vida ao ar livre, estes gatos gostam de caminhar e caçar e são excelentes trepadores. A sua natureza brincalhona e a sua energia transformam este gato num excelente companheiro. A raça desenvolve-se lentamente e pode só atingir a maturidade aos quatro anos de idade.

Gato norueguês da floresta a escalar a árvore

História e Origem

País de Origem: Escandinávia

O Bosque da Noruega é uma raça antiga e presume-se que é descendente de gatos de pelo curto trazidos pelos Viquingues da Grã-Bretanha e dos gatos de pelo longo trazidos pelos cruzados para a Escandinávia que se reproduziram com gatos de quinta autóctones ou gatos selvagens. Uma vez que esta raça é oriunda de um país com um clima nórdico frio, o seu pelo foi desenvolvido para climas áusteros, sendo resistente e robusto. A pelagem dupla é a que melhor se adapta ao clima frio nórdico, sendo resistente ao vento e à temperatura da neve e é de secagem rápida. A raça foi documentada pela primeira vez na Noruega em 1930 e apareceu pela primeira vez em exposições de felinos em 1938. Os Bosques da Noruega só foram exportados da Noruega na década de 1970.